20 de fevereiro de 2010

Ainda te espero...



Emoldurei lembranças de ti
Em quadros que afixei
Nas paredes caiadas da memória
Em páginas plissadas, encardidas
Dobradiças no livro da nossa estória

Derramei nas flores que me enviaste
aquele perfume aprazível que me destes
Com as flores já embriagadas
adornei meu dileto leito
e adormeci na efusiva lembrança
De uma tórrida paixão
Convulsionada no peito

Tua voz eufônica ainda retumba
Na harpa dos meus ouvidos
Não sou capaz de apartar de mim tua face
Mantenho a tua presença em meu quarto
Como um livro de cabeceira
Como um irrevogável enlace

No vácuo das minhas recordações
Contemplo atônita, tua imagem
Nos olhos esmaltados da minha mente
ela ainda me traz a sensação de estar contente

Enebriada, aguardo eufórica, a tua chegada
A qualquer momento
Em qualquer tempo
Na sobrevida do nosso cálido sentimento


Úrsula Avner

4 comentários:

Hamilton H. Kubo disse...

Olá Sonhadora, como esta vc??
Adorei a poesia que postou, um certo ar de tristeza mas ao fundo uma esperança infinita.
Tento me recompor aos poucos, pois sei que a ausência que sinto ja perdura por algum tempo.
Talvez, agora é que me dei conta da falta que sinto!
Me escondia nas sombras e aguardava em pensamento.
É chegada a hora de deixar partir de uma vez, e talvez junto a esta partida perca também parte de mim.

Beijos, estou sempre por aqui apesar de não escrever...

Mågø Mër£Îm disse...

Eu ja descobri que nem todo sentimento tem sobrevida... rs

Hamilton H. Kubo disse...

Querida Sonhadora por onde andas?
Onde esta você?
Estou aqui, escrevendo e sentindo a falta de sua presença.

Beijos!

Volte logo!

Márcia Vilarinho disse...

Sonhadora na arte de relatar seus sonhos emoldurados pela capacidade de os transformar em poesias e plasmando-os, no ar, como pinturas panorâmcias, prontas para a realidade, que tão plenamente haverá de te alcançar num imenso plano de amor. Lindo!Bjs.

 
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios